A CIRP – Conferência dos Institutos Religiosos de Portugal congratula-se com a deliberação do Tribunal Constitucional ao declarar a inconstitucionalidade da Lei da Assembleia da República que aprova a eutanásia e o suicídio assistido, a qual lhe foi remetida pelo Presidente da República para fiscalização preventiva.

A CIRP e os Religiosos em Portugal reafirmam a posição que a Igreja tem vindo a tomar sobre este assunto, a defesa da inviolabilidade da vida humana. Qualquer legislação favorável à prática da eutanásia ou da morte assistida é sempre contrária à dignidade da pessoa humana e à Constituição da República Portuguesa.

Lisboa, 16 de março de 2021